Muitas empresas possuem uma boa definição dos cargos existentes dentro da organização, bem como os critérios que definem cada um deles e quais os principais requisitos e perfis para preencherem as vagas, o que resulta, na maioria dos casos, em um organograma funcional, hierarquia bem estabelecida e clareza de posições.

Porém, em outros casos, existem empresas que não contam com toda essa clareza, visto que não possuem um organograma verdadeiramente estabelecido. O resultado são critérios de avaliação de desempenho de colaboradores falhos e indefinidos, conflitos internos, sentimentos de injustiça na remuneração, desmotivação e até mesmo a perda de talentos. Afinal, se uma empresa não sabe adequadamente quais parâmetros analisar e quais características são necessárias para suas vagas, ela corre um grande risco de não fazer isso da maneira correta.

Ou seja, apesar de existirem inúmeras maneiras de se realizar uma avaliação de desempenho, todas possuem, impreterivelmente, uma definição básica, que serve como base para todo o processo: os critérios.

Por incrível que pareça, a falta de definição de critérios para avaliar um colaborador é o que mais colabora para o sentimento de injustiça e desmotivação do mesmo e, consequentemente, o desligamento do funcionário da empresa. Quem nunca ficou sem entender a razão do valor recebido de bônus ser menor que atire a primeira pedra! Ou então quando aquele colega que falta ou chega sempre atrasado, receber uma premiação do RH e, você que está sempre dentro dos horários, não receber nada? Isso sem mencionar aquela promoção que você almeja, mas nunca chega. Poderíamos ficar aqui citando inúmeros casos, existem até mesmo aqueles de nepotismo, mas estaríamos apenas nos lamentando e o nosso objetivo é outro: apresentar uma solução para que problemas assim deixem de acontecer!

A verdade é que a definição de critérios objetivos (aqueles que são mensuráveis quantitativamente) e até mesmo 一 porque não? 一 os critérios subjetivos (que são aqueles que podem dar margem para interpretação de terceiros ou que envolvem as preferências de cada indivíduo) pode evitar diversos problemas de avaliação equivocada. Eles são e sempre serão a base sólida para que análises de performance das equipes ocorram de maneira correta, direcionada e bem estabelecida, evitando qualquer tipo de injustiça, descontentamento e até mesmo fofocas dentro do ambiente corporativo.

Por isso, o primeiro passo é sempre estabelecer metas e indicadores de desempenho concretos e efetivos e, para isso, investir em uma parceria com quem realmente entende do assunto pode fazer a diferença. A DiferenciAll, devido aos seus anos de atuação no mercado e o seu vasto conhecimento sobre gestão empresarial, garantem aos seus clientes as melhores soluções e o atendimento diferenciado que necessitam. Fale com um consultor e descubra como a DiferenciAll pode auxiliar o seu negócio.

avaliação de desempenho

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Assine nossa newsletter para ficar por
dentro das nossas novidades.